Encadernação

Reencadernando meu Senhor dos Anéis

Recentemente eu reencadernei meu exemplar de “O Senhor dos Anéis”. A capa e os cortes estavam realmente precisando de um trato. Logo que ganhei esse exemplar não tinha a menor ideia do que não fazer com um livro então a primeira coisa que pensei para proteger a capa feita em cartão flexível foi “instalar” um belo contact transparente. Que erro!

Existe uma linha sutil entre reencadernar e restaurar um livro. Reencadernar significa recolocar a encadernação, ou seja, a capa do livro. Restaurar, no entanto, envolve técnicas que permitem retomar a originalidade, ao menos parcialmente. Essas técnicas incluem o uso de papel japonês, metil, lavagens e conhecimento para saber onde e quando aplicar cada uma. Evidentemente, livros raros, exemplares únicos ou edições especiais não devem sofrer intervenções desnecessárias.

Lógico que num primeiro momento, esse plástico tão conhecido por todos até protege, mas ele não impediu a deterioração da lombada do livro, já que essa era uma área que “trabalhava” bastante por ser um livro muito grosso. O resultado disso é que como não pude soltar o plástico da capa, acabei tendo que substituir ela inteira. Essas situações acontecem com mais frequência do que se imagina.

Durante o processo de reencadernação percebi o quanto as editoras/gráficas cortam custos na hora de produzir um livro comercial. Esse exemplar de O Senhor dos Anéis é o volume único, lançado em janeiro de 2001. Naquela época não se pensava muito em experiência do usuário, então mesmo uma pessoa com visão perfeita teria alguma dificuldade em ler com a fonte minúscula escolhida. Ademais, o papel branco e fino também não facilita.

A Reforma

Esse trabalho se mostrou um desafio desde o início. Logo após desmontar a capa, me deparei com uma cola amarela horrorosa. Essa cola é muito utilizada em gráficas, pois é de baixo custo e não solta por nada, mas ela é péssima para o livro, pois endurece e prejudica a abertura.

Lombada do livro O Senhor dos Anéis

Queria que meu livro fosse verde, então escolhi um revestimento especial para encadernação chamado Creativo. A vantagem em se utilizar um revestimento é que ele já vem dublado, ou seja, já possui um papel no verso, facilitando a colagem. Como eu queria personalizar a capa do meu livro, preparei uma arte e imprimi na minha impressora jato de tinta em casa mesmo.

Arte da capa

Feita a limpeza da lombada, foi só preparar alguns reforços para inserir a nova capa. No entanto, os cortes estavam muito amarelados, então decidi pintá-los. Escolhi o preto por ter uma cobertura maior. Precisei ter um pouco de paciência durante esse processo, pois foram várias “demãos” de tinta, sempre esperando a camada anterior secar completamente antes de aplicar a próxima.

Livro na prensa

Com os cortes secos, chegou o momento de aplicar as novas folhas de guarda e por fim, colocar o livro na nova capa. Escolhi papel vergê ônix para as guardas, pois além de combinar com o novo visual, também não possui acidez, assim como o papel japonês que apliquei como reforço da lombada. O plástico que apliquei na capa deixou uma marca impossível de limpar na folha de rosto. Infelizmente essa batalha eu perdi.

Livro com corte pintado

Com a capa montada apliquei alguns detalhes em metal, todos combinando com o tema do projeto. O detalhe mais interessante foi a fita marcadora com o pingente em formato de folha lembrando as folhas de Lothlórien. O resultado está aí em baixo. Gostei bastante de como meu Senhor dos Anéis ficou.

Se você tem algum livro especial que gostaria de repaginar, entre em contato. Vamos conversar para deixar o seu livro especial mais especial ainda!